Archive for Alimentação saudável

Alimentação saudável: a soja

A soja

A Soja

 

A soja  destaca-se entre as leguminosas por ter um alto valor nutritivo, contendo proteínas, algumas vitaminas e minerais em quantidades superiores a outros grãos. Uma excelente opção quando se quer aumentar a quantidade de proteínas da alimentação sem aumentar o consumo de alimentos de origem animal.

A quantidade de gordura presente na soja é superior aos outros grãos, embora seja uma gordura vegetal (isenta de colesterol) e não prejudique o nosso perfil lipídico.

Pode ser encontrada para consumo em diferentes formas, como soja em grão, farinha de soja (para confecção de bolos e pães), extrato de soja (“leite de soja” em pó ou fluido), proteína texturizada (a chamada “carne de soja”), além de estar presente numa série de outros produtos, como óleos vegetais, massas e biscoitos.

A quantidade de ferro presente na soja, embora seja razoável não é muito biodisponível, ou seja, não é  tão bem absorvido pelo organismo quanto o ferro presente nas carnes. Por isso, a soja pode ser um bom substituto para a carne quando se pensa no valor proteico da mesma, porém deve ser suplementada ou associada com outros alimentos para que os outros nutrientes sejam fornecidos ao organismo de maneira adequada.

O consumo diário de soja tem sido associado à prevenção e ao tratamento de algumas doenças devido a presença de fito-hormônas (hormona de origem vegetal) conhecidos como isoflavonas ou isoflavonóides.

Alguns benefícios de seu consumo são:

– Reduz o risco de doenças cardíacas: Tais substâncias actuam como um elemento antioxidante reduzindo as taxas do mau colesterol (LDL) no sangue e, conseqüentemente, diminuindo o risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

– Reduz o risco de cancro: Pequenas quantidades de soja ou dos seus  derivados por dia parecem prevenir alguns tipos de cancro como o de cancro da mama, do pulmão, do cólon, do recto, do estômago e da próstata.

– Ajuda a prevenir a osteoporose: A ingestão de derivados da soja é uma boa maneira de manter ossos saudáveis e fortalecidos. Os mecanismos de protecção são: o cálcio presente nos derivados (tofu ,leite de soja enriquecido). A proteína da soja ajuda a conservar o cálcio do organismo. As isoflavonas, particularmente a daidezeína, diminuem o processo de reabsorção óssea.

– Controle da diabetes: A diabetes é caracterizada por níveis elevados de açúcar no sangue, em decorrência da falta de insulina ou da utilização inadequada dessa hormona. Os doentes apresentam risco elevado de doenças cardíacas, lesões oculares, renais, neurológicas e nos membros. A  soja ajuda no combate à doença de duas formas: Reduzem a absorção de glicose para a circulação sanguínea. Tendo em vista que são ricos em fibras, esses alimentos apresentam um baixo índice glicémico, ou seja, causam uma pequena elevação da concentração de glicose no sangue. São particularmente úteis por facilitarem a acção da insulina. Reduzem os níveis de colesterol e, portanto, ajudam a evitar ou controlar algumas complicações da doença, como a aterosclerose (”entupimento” das artérias).

– Melhora dos sintomas da menopausa: As mulheres que ingerem produtos da soja diariamente apresentam menos episódios de calor e  sudorese noturna. Os fito-estrógeneos apresentam propriedades semelhantes ao estrógeneo humano, embora com menor efeito, melhorando os sintomas da menopausa. Hoje em dia muitas mulheres utilizam as isoflavonas de soja em substituição das hormonas sintéticas. Investigações recentes comprovam asua  eficácia destas na terapia de substituição hormonal.

Resumindo, a soja é um alimento de alto valor nutricional, possível de ser utilizado nas mais diferentes formas, além de ser uma excelente opção para pessoas que não podem consumir proteínas de origem animal (leite, carnes, ovos etc) por doenças ou alergias alimentares, ou mesmo para aqueles que optão por uma alimentação vegetariana. Porém, é necessário um bom equilíbrio alimentar ou mesmo uma suplementação quando a soja representa a principal fonte de proteínas da dieta, uma vez que a falta ou a quantidade insuficiente de alguns importantes nutrientes pode causar graves deficiências ao organismo. Procure um nutricionista pois ele poderá ajudá-lo.

 

 

Leave a comment »

A levedura de cerveja

A levedura de cerveja é um condimento e suplemento dietético, rico em vitaminas do complexo B. É também uma excelente fonte de proteínas, de vitaminas, de minerais e de aminoácidos essenciais. Apresenta ainda um importante teor de ferro orgânico.
É também um suplemento alimentar benéfico para várias patologias.
A levedura é um fungo unicelular responsável pela fermentação alcoólica de soluções açucaradas. O género mais importante é o Saccharomyces, do qual se destaca a espécie Saccharomyces cerevisiae, vulgarmente apelidada de levedura de cerveja. Estes organismos desde há muito têm vindo a ser utilizados para fermentar o açúcar de cereais como o arroz, o trigo, a cevada, o malte, o lúpulo, entre outros, obtendo-se, desta forma, as bebidas alcoólicas. No entanto, só no decorrer do século XIX é que os cientistas se aperceberam do verdadeiro papel da levedura de cerveja. Hoje em dia, é também usada como um valioso suplemento alimentar, devido ao seu elevado teor de nutrientes e nível proteico (cerca de 50%).
A levedura de cerveja utilizada como suplemento alimentar é obtida de células secas de Saccharomyces cerevisiae e também, embora em menor quantidade, de Saccharomyces carlsbergensis (espécie que recebeu esta denominação ao ser isolada pela primeira vez, em Copenhaga, na cervejeira Carlsberg em 1888). Apesar de poder ser produzida propositadamente para ser utilizada como suplemento alimentar, é geralmente extraída após o processo de fermentação da cerveja.
Este suplemento alimentar, por muitos considerado um alimento completo, deve a sua riqueza ao teor de vitaminas do complexo B (B1, B2, B6, ácido pantoténico, ácido nicotínico, ácido fólico, biotina, colina, inositol, etc.). Possui ainda todos os aminoácidos essenciais (alanina, arginina, ácido aspártico, leucina, lisina, isoleucina, treonina, entre outros) e ainda muitos minerais (entre os quais se destacam o potássio, o sódio, o cálcio, o fósforo, o magnésio, o enxofre, o zinco, o selénio e o crómio). É também uma fonte considerável de DNA e RNA, dois ácidos nucleicos importantes que estimulam o sistema imunitário e ajudam a melhorar o funcionamento cerebral a nível da memória e do envelhecimento precoce.
A ingestão de levedura nutricional é benéfica a nível de transtornos intestinais, particularmente na regulação de casos de diarreia e de prisão de ventre. É também um suplemento a considerar na diabetes, devido ao seu teor de crómio, que ajuda a regular o metabolismo do açúcar. Quando combinada com a lecitina, a levedura de cerveja revela-se eficaz em casos de colesterol elevado.
Outras vantagens, devido principalmente ao seu elevado teor de vitaminas do complexo B, são os efeitos benéficos que produz na pele, nas unhas e no cabelo, ajudando mesmo a melhorar casos de acne, eczemas e mesmo psoríase.
Para além disso, os nutrientes da levedura de cerveja ajudam a colmatar algumas deficiências que possam existir em algumas dietas de emagrecimento mais carenciadas ou numa alimentação desequilibrada.
Este suplemento alimentar, pode ser tomada por qualquer pessoa saudável, para assim assegurar um aporte diário de nutrientes ao bom funcionamento do organismo. Devido às suas propriedades reconstituintes, é especialmente aconselhada a desportistas, a crianças em fase de crescimento, a idosos, a grávidas e a doentes em fase de recuperação.
Este suplemento, que possui um travo amargo característico, encontra-se disponível sob diversas formas: em pó ou flocos, que deves juntar na comida crua ou já cozinhada (não deves cozinhar a levedura de cerveja, pois caso contrário, perderá o seu teor de vitaminas), comprimidos ou cápsulas, ou líquida (que poderás adicionar a sopas, sumos, etc.).

Comments (1) »