Posts tagged entrevista

ENTREVISTA VIVAFIT: “2009 FOI UM ANO DIFERENTE EM TERMOS DE CRESCIMENTO”

Pedro Ruiz

Num ano difícil devido à conjuntura económica, a Vivafit conseguiu aumentar a facturação média por loja contornando alguns dos desafios. Pedro Ruiz, CEO da marca, falou com a Negócios & Franchising sobre o desempenho da marca em 2009 e as perspectivas para o futuro.

Negócios & Franchising – A Vivafit opera há sete anos em Portugal. As mulheres passaram a ter uma maior preocupação com o corpo e bem-estar?
Pedro Ruiz – Estão mais preocupadas com o bem-estar, saúde, prevenção da doença e menos com a obesidade. É uma evolução que temos vindo a notar, esta mudança da parte estética para a parte intrínseca da saúde.
N&F- Aceitaram bem o conceito?
P.R.- Sim, sabíamos que este tipo de treinos era o necessário quando começámos com este projecto.
N&F- Até agora houve alguma evolução?
P.R.- Começámos com o circuito hidráulico, introduzimos o pilates em 2004, que consistiu na primeira grande evolução e o body vive em 2009.
N&F- Neste momento contam com quantas unidades?
P.R.- Temos 108 unidades, das quais 5 são próprias.
N&F- Qual o feedback das vossas sócias?
P.R.- Bastante positivo. Fazemos frequentemente surveys (questionários) nas lojas, mas a melhor forma de apurar é a net. Fizemos uma investigação aprofundada sobre a opinião das nossas sócias, à semelhança do que aconteceu no ano passado para mostrar aos franchisados na convenção Vivafit, e o resultado é positivo. Por exemplo, 50,7% das inquiridas recomendariam a Vivafit a uma amiga.
N&F- As lojas ressentiram-se com a procura por parte dos clientes neste período?
P.R.- Sim, houve. Mas por exemplo os bons centros, aqueles com melhor gerência, têm vendido mais do que dantes, enquanto que os que não tinham boa gerência estão ainda pior. Houve uma diminuição das vendas [uma venda corresponde a uma nova sócia] mas registou-se um aumento na facturação devido à nova modalidade, à reestruturação do preçário e do serviço.
N&F- Houve uma diminuição da procura por parte de potenciais candidatos a franchisados durante este período?
P.R.- O número de prospecções tem aumentado. Em 2009 tivemos 18 aberturas e não fechámos nenhuma.
N&F- Qual o balanço de 2009?
P.R.- Foi um ano diferente em termos de crescimento devido às restrições de crédito por parte dos bancos e também porque a zona da Grande Lisboa já está cheia, sendo aquela que tem maior procura.
N&F- Em que zonas é que a marca gostava de estar implementada?
P.R.- O norte do País é onde temos mais possibilidades de abrir. A expansão nesta zona começou de forma mais significativa em 2009.
N&F- Estão para já previstas algumas aberturas?
P.R.- Temos nove contratos assinados por abrir: Olhão, Casal de Câmara, Parede, Leiria, Portalegre, Quinta do conde, Vila Real, Charneca da Caparica e Torres Novas.
N&F- Qual o plano de expansão para 2010?
P.R.- Continuar com muitas aberturas no norte, abrir em Espanha onde temos de momento dois centros e pretendemos abrir cinco, assinar contratos de master para o estrangeiro e inserir o body balance enquanto modalidade.
Anúncios

Leave a comment »